LIFTING DE FACE

Rejuvenescimento facial

O lifting de face é indicado para amenizar os sinais de envelhecimento facial, em que se realiza um reposicionamento dos tecidos (pele e músculos) da face, remoção dos excessos de gordura e flacidez da pele. O que está ao alcance da cirurgia plástica é melhorar a firmeza dos tecidos e reposiciona-los para que os traços de jovialidade sobressaiam aos de senilidade.

 

A face é dividida para termos didáticos e cirúrgicos em três terços: superior (testa e sobrancelhas), médio (bochechas, lábios e nariz) e inferior (pescoço). Nem todos os pacientes necessitam da abordagem cirúrgica de toda a face. Só após avaliação criteriosa é que se pode definir quais áreas serão, e como serão, abordadas.

 

É muito comum incluir as pálpebras no procedimento de rejuvenescimento facial quando existem bolsas gordurosas e excesso de pele.

Indicação

A cirurgia da face pode ser indicada para pessoas que apresentam sinais visíveis de envelhecimento no rosto e no pescoço tais como:

flacidez no terço médio da face, vincos profundos abaixo das pálpebras inferiores, vincos profundos ao longo do nariz que se estende ao canto da boca, gordura que tenha baixado ou tenha sido deslocada, perda de tônus muscular na face inferior, podendo causar papada, pele frouxa e excesso de depósitos de gordura sob o queixo e a mandíbula.

Anestesia

Damos preferência à anestesia geral em vez da anestesia local com sedação em virtude de ser uma cirurgia longa.

Duração da cirurgia

A duração do procedimento e de aproximadamente 4 horas e varia de acordo com as estruturas da face que serão tratadas.

Tempo de internação

De 24 a 48 horas, pois dessa forma conseguimos manter o paciente em observação durante o período mais crítico em que acontece a maioria das intercorrências.

Pós-operatório

  • Após o término da cirurgia, são colocados drenos para sugar o sangue e a secreção que saem dos locais operados e curativos compressivo para ajudar a conter sangramentos maiores que possam gerar hematomas;

  • Os drenos são retirados após 24 a 48h;

  • Evitar exposição ao sol e calor;

  • Dormir com a cabeceira elevada por alguns dias;

  • É normal o aparecimento de inchaço e roxidão por 14 a 21 dias.

  • O Inchaço menos intenso persiste por até 6 meses ou mais, todavia não compromete as atividades rotineiras;

  • Após a alta, o paciente deverá manter-se em repouso relativo para evitar grandes variações da pressão arterial e não ter sangramentos que possam acarretar hematomas tardios;

  • Os retornos ao consultório devem ser frequentes e obedecem a uma cronologia para retirada de pontos, uso de medicamentos tópicos para diminuir o inchaço e melhorar as cicatrizes.

Cicatrizes

As cicatrizes são colocadas dentro do couro cabeludo ou nos sulcos e dobras naturais da pele para que se tornem menos perceptíveis. Com o decorrer do tempo tornam-se bem suaves e pouco aparentes. É pouco frequente a ocorrência de cicatrizes inestéticas. Se elas ocorrerem é necessário que o paciente mantenha contato com o cirurgião que poderá usar uma série de procedimentos clínicos e às vezes cirúrgicos para melhorá-las.

Recuperação completa

Após a 2ª semana, já se pode ter uma ideia do resultado, pois o inchaço começa a diminuir. Todavia, a aparência definitiva só será efetivamente observada após 6 a 12 meses.

 

OBS: “pés-de-galinha” e sulcos profundos raramente desaparecerão totalmente. Os sulcos profundos e os pés-de-galinha podem ser tratados posteriormente com preenchimentos e/ou Botox.

Complicações/Riscos

Não só em cirurgia plástica, como em qualquer especialidade cirúrgica, as possibilidades de intercorrências devem ser conhecidas pelo paciente. Não há procedimentos cirúrgicos, assim como cirurgiões, com 100% de resultados excelentes e 0% de intercorrências/complicações. Por isso, o paciente deve ser previamente informado (verbalmente e por meio dos termos de consentimento) de que existem riscos e quais são eles.

 

Uma vez que decida passar pelo procedimento cirúrgico, é porque entende que os riscos são aceitáveis (na maioria das cirurgias os riscos são muito baixos de fato) e confia em seu cirurgião.

 

Importante lembrar que os órgãos reguladores (CRM, ANVISA, Ministério Público, entre outros) não permitem que cirurgiões executem procedimentos com riscos muito altos e que não sejam cientificamente comprovados como seguros.

 

Assim, é dever do cirurgião informar ao paciente que a literatura médica reporta riscos, baixos para a maioria dos procedimentos cirúrgicos, mas que não podem ser ignorados.

É dever do cirurgião é informar o seu paciente sobre possíveis intercorrências.

 

Segue abaixo um resumo do que o paciente deve saber:

 

  • Podem ocorrer sangramentos, infecção, hematoma, necrose de pele, irregularidades, assimetrias, alterações da sensibilidade e motricidade;

  • Complicações estéticas: aparecimento de quelóides, alteração da cor das cicatrizes, assimetrias, irregularidades, estigmas de hipercorreções, cicatrizes mal posicionadas, alopecias (queda de cabelo na área da cicatriz) etc;

  • O hematoma é uma complicação importante nesse tipo de procedimento e pode ocorrer em até 5-10% dos pacientes a depender da idade, sexo e fatores diversos que possam causar sangramentos;

  • Pode ocorrer trombose venosa que pode evoluir para embolia pulmonar;

  • Complicações anestésicas podem ocorrer conforme o tipo de anestesia aplicada. As mais comuns são: alergia a medicamentos (choque anafilático), hipertermia maligna, cefaléia (dor de cabeça) etc.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Responsável Técnico

Dr. Jefferson Di Lamartine G. Amaral

CRM-DF 10.276

RQE 5678

© 2018 Desenvolvido por FIVE Marketing

Agende sua consulta!

Não aceitamos convênios.