LIPOASPIRAÇÃO/LIPOESCULTURA

Modelando o corpo

A lipoaspiração é um técnica que consiste em aspirar gordura por meio de uma cânula com o objetivo de melhorar o contorno corporal e refazer a silhueta do corpo. O procedimento cirúrgico não cumpre o objetivo de emagrecer, mas sim de remodelar o corpo à medida que retira os indesejados acúmulos de gordura.

 

A lipoaspiração pode ser associada a várias outras cirurgias, como abdominoplastia, mamoplastia, blefaroplastia, rinoplastia, e outras, desde que haja indicação médica e sejam obedecidos os mesmos critérios de segurança já mencionados.

 

Na lipoescultura retira-se a “gordura indesejada” de uma área e aplica-se a mesma em regiões em que há pouco volume ou mesmo depressões, por exemplo nas nádegas. O termo científico para essa técnica é enxerto de gordura e conceitualmente se assemelha aos enxertos de pele. Uma vez que o tecido adiposo removido do abdome ou da cintura é injetado nas nádegas, ou outras regiões, não há que se falar em rejeições, pois é o tecido da própria pessoa.

Indicação

A lipoaspiração e a lipoescultura estão indicada para redução do volume de gordura em áreas localizadas do corpo, propiciando ao paciente uma melhor definição do contorno corporal. Os procedimentos são indicados para o tratamento de áreas como barriga, nádegas, quadris, flancos, culotes, face interna das coxas, mamas, peito masculino, costas, face e braços.

Idade

Após adolescência.

Duração da cirurgia

O tempo de duração pode variar de um paciente para o outro. Mas a média, para a maioria dos pacientes, é de uma a três horas.

Anestesia

Pode ser peridural ou geral, damos preferência à peridural.

Tempo de internação

Para a maioria dos pacientes um dia é suficiente.

Pós-operatório

  • Utilizar cinta elástica específica por 30 a 40 dias;

  • Evitar esforços físicos vigorosos e exposição solar por dois a três meses;

  • Dormir com cabeceira levemente elevada por alguns dias

  • É muito importante que se faça caminhadas leves no dia seguinte, pois é um dos modos de prevenção de trombose venosa profunda;

  • É normal inchaço e roxidão por um a dois meses;

  • Inchaço menor persiste por até seis meses ou mais.

  • É indicada drenagem linfática com fisioterapeuta após a primeira semana;

  • É importantíssimo que o paciente tenha uma alimentação enriquecida com muita proteína, verduras e legumes;

  • Além do mais é necessário aumentar a ingestão de líquidos ricos em sódio, potássio, cálcio e cloretos, a exemplo de sucos naturais, leite, água de coco e bebidas isotônicas;.

  • Todavia, o mais importante no pós-operatório é ter um contato direto com o cirurgião e sua equipe, para que, em caso de qualquer intercorrência, tudo seja administrado/resolvido no tempo certo.

Cicatrizes

São pequenas (cerca de 0,5 cm) e em número e locais variados – a depender de quantas áreas do corpo se vai lipoaspirar. Geralmente procura-se camuflar tais cicatrizes nos sulcos naturais do corpo e/ou nas regiões protegidas pelas roupas, de modo que fiquem o menos aparente possível.

Recuperação completa

Após 30 dias o inchaço e os roxos já regridem parcialmente e ainda não é possível fazer uma análise precisa do resultado alcançado.

 

O resultado definitivo poderá ser observado após seis meses a um ano de procedimento cirúrgico, quando o edema já é menos intenso. Alterações de remodelação cicatricial podem influenciar o resultado em até 18 meses do pós-operatório.

Complicações/Riscos

Não só em cirurgia plástica, como em qualquer especialidade cirúrgica, as possibilidades de intercorrências devem ser conhecidas pelo paciente. Não há procedimentos cirúrgicos, assim como cirurgiões, com 100% de resultados excelentes e 0% de intercorrências/complicações. Por isso, o paciente deve ser previamente informado (verbalmente e por meio dos termos de consentimento) de que existem riscos e quais são eles.

 

Uma vez que decida passar pelo procedimento cirúrgico, é porque entende que os riscos são aceitáveis (na maioria das cirurgias os riscos são muito baixos de fato) e confia em seu cirurgião.

 

Importante lembrar que os órgãos reguladores (CRM, ANVISA, Ministério Público, entre outros) não permitem que cirurgiões executem procedimentos com riscos muito altos e que não sejam cientificamente comprovados como seguros.

 

Assim, é dever do cirurgião informar ao paciente que a literatura médica reporta riscos, baixos para a maioria dos procedimentos cirúrgicos, mas que não podem ser ignorados.

Segue abaixo um resumo do que o paciente deve saber:

  • São comuns as pequenas irregularidades na superfície lipoaspirada;

  • A cicatrização pode evoluir com formação de quelóides, hipercromia e manchas na área aspirada;

  • Pode ocorrer necrose de pele, flacidez de pele na região lipoaspirada, infecção, seroma, abertura dos pontos, perfuração de vísceras e outras consequências;

  • Trombose venosa (coagulação do sangue dentro das veias) e embolia pulmonar (migração do coágulo para o pulmão);

  • Complicações decorrentes da anestesia, como alergia a medicamentos (choque anafilático), hipertermia maligna, cefaleia (dor de cabeça) pós-peridural e outras.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Responsável Técnico

Dr. Jefferson Di Lamartine G. Amaral

CRM-DF 10.276

RQE 5678

© 2018 Desenvolvido por FIVE Marketing

Agende sua consulta!

Não aceitamos convênios.